Defasagem dos combustíveis aumenta tensões na Petrobras

InícioNotíciasDefasagem dos combustíveis aumenta tensões na Petrobras

A diferença de preço da gasolina no Brasil em comparação com o mercado internacional atingiu 18% nesta segunda-feira, 8, de acordo com informações do jornal O Globo. Conforme dados da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), essa disparidade em relação ao diesel é de 13%.

Essa discrepância reflete o aumento do preço do barril de petróleo tipo Brent, que ultrapassou os 90 dólares na semana passada, intensificando a pressão por ajustes nos valores. Os economistas do banco JP Morgan preveem que o preço do barril de petróleo possa atingir os 100 dólares até agosto ou setembro.

Quanto à presidência da Petrobras, o presidente Lula (PT) deveria ter se reunido com os ministros Fernando Haddad, da Fazenda, e Alexandre Silveira, de Minas e Energia, durante o final de semana para discutir a permanência de Jean Paul Prates no cargo, porém o encontro foi adiado. A reunião foi remarcada para esta segunda-feira, 8, às 18h, no Palácio do Planalto.

Prates está no centro das atenções devido a diversos rumores sobre sua possível saída do cargo. Aloizio Mercadante, presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), é frequentemente citado como um possível substituto.

Em relação às condições estabelecidas por Silveira para a permanência de Prates, o ministro de Minas e Energia teria conversado com o presidente por telefone e defendido a continuidade de Prates no cargo, porém com certas condições. A longevidade do atual presidente da estatal estaria sujeita a uma mudança de comportamento, incluindo críticas à postura de Prates em relação ao mercado financeiro e à suposta sabotagem contra a pauta de biocombustíveis no Congresso Nacional.

Compartilhe esta publicação